O que seria um UX Developer?

UX Developer, que ao pé da letra, traduzindo para o bom português, seria Desenvolvedor da experiência do usuário é um novo termo e especialidade que vem ganhando espaço nas diversas competências e habilidades no mercado Web. Este termo meio obscuro aqui e com algumas abordagens lá fora, como foi citado em um excelente artigo da UX Magazine sobre o assunto, mostra que este papel está cada vez mais presente em um time de desenvolvimento. Mas o que ele faria, como surgiu? Onde se encaixa em uma equipe de desenvolvimento? E de criação? Vou tentar responder estas questões para entender melhor o que é e se você se encaixa neste perfil. Até mesmo se esta especialidade faz sentido dentro da sua equipe.

Pequeno fluxograma mostrando as diferentes competências do desenvolvimento de uma aplicação web e onde estas diferentes especialidades se encontram

Acima temos as competências, com setas em cada extremo indo em diferentes focos. A esquerda mais focado na experiência humana e social e do lado direito focado na tecnlogia e no uso de tecnologia nas soluções. Os círculos em volta seria um espectro de abrangência de cada um. Neste fluxo está representado onde se encaixaria um UX Developer nestas interseções de competências.

Profissionais de Front-end, situados originalmente no início da bolha de “desenvolvimento” absorviam cada vez mais os interesses da extrema esquerda, mas também algumas vezes estudando e se aperfeiçoando em outra direção, a direção da experiência do usuário, mas para isto também precisavam ter um conhecimento do design de interação e um pouco de arquitetura de informação.

O conhecimento deste “raio” de abrangência entre o design e o front-end torna este profissional capaz de criar um código em produção, mas além disto eles são capazes também de produzirem protótipos e ainda ter conhecimento de interação homem máquina e outros tipos de interações como gestos de tela, animações e componentização das interfaces de forma bem estruturada e com uma visão e integração destes componentes de forma eficaz e sistêmica.  Ele também conhece bem das novas tecnologias web e conhece bastante de HTML / CSS.

No caso do javascript, o conhecimento abrange mais a área de desenvolvimento. Para esta linguagem, é geralmente difícil de ser absorvida no mundo de design. Geralmente na sua formação original, o profisional de arquitetura e design de interação lida geralmente com protótipos e não possuem o conhecimento e abrangência para trabalhar com o desenvolvimento de componentes escaláveis e orientado a objetos. Ele consegue criar componentes de interface de usuários e estabelecer padrões de interação com componentes funcionando em diversos cenários de interação e integração com o sistema.

Este profissional é necessário na minha equipe?

Bem, dependendo do projeto, naturalmente ele se torna um desses profissionais e absorve as idéias e decisões de design dos dois lados, mas no final quem dá o veredito do design são os responsáveis pela interface. É a mistura do trabalho em conjunto do arquiteto e designer de interação. O designer juntamente com este profissional tem toda a abrangência sobre uso de sistema em termos visuais. Em muitas empresas, a separação da equipe de criação e de desenvolvimento chega a ser física e geográfica e dificulta este dialógo entre design e desenvolvimento. A integração desta forma pode se tornar um processo bastante doloroso. Este profissional que estamos falando aqui não dispensa o trabalho do arquiteto e nem do design, ele somente tem um “zelo” pelo design e interação enquanto o desenvolvedor geralmente foca no funcionamento da aplicação e sua perfomance.

Como falado neste artigo sobre o que seria um UX Developer, ele teria as seguintes características:

  • Se envolver nas etapas de desenvolvimento do processo de UX, definição de produto, audiência, pesquisas, e todo o processo envolvido de descoberta do produto.
  • Prototipa e desenvolve código muito rápido. Faz isto durante a própria concepção do produto.
  • Conhece dos últimos recursos do browser para saber as possibilidades de interação.
  • Se preocupa com a visão sistêmica em termos de interface de todo projeto, ao mesmo tempo que também consegue atender as necessidades do design.
  • Conhece muito bem os elementos e formas de interações entre os diversos dispositivos, pois tem base de conhecimento em interação homem máquina, mas também é capaz de desenvolver soluções de interface e interação com o usuário como produto final.

E vocês, o que acham da existência deste tipo de profissional?

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>