Startups que vieram para romper com as barreiras financeiras

A evolução digital permitiu às empresas oferecer pagamentos online, o que certamente é uma grande facilidade a todos. Porém, ainda existem diversas barreiras a usuários e empresas que desejam realizar transações e pagamentos para qualquer parte do mundo.

Taxações bancárias, burocracias e diferenças de regulamentação entre países restringem a liberdade das entidades envolvidas nas transações. As fronteiras também são restritas para quem deseja vender serviços online, que não necessariamente envolvem um produto físico.

Neste cenário, surgiram startups focadas em resolver os diversos fluxos e barreiras financeiras, a fim de facilitar a transferência de valores entre empresas e países. Ao diminuir a burocracia, elas também estão facilitando a vida do usuário final e o controle de finanças pessoais integradas a um sistema de pagamento.

Algumas startups estão revolucionando a forma de fazer transações financeiras para empresas, freelancers ou até mesmo para uma pessoa comum que só quer repassar valores e não deseja enfrentar as altas taxas cobradas pelos bancos.

Estes, mais cedo ou mais tarde, também precisarão se adaptar às idéias disruptivas dessas startups. É o caso do Danske Bank, na Dinamarca, que já começou a investir em novas soluções de pagamento, criando o sistema Mobile Pay.

O Mobile Pay é bastante comum na Dinamarca e basta ter uma conta em qualquer banco para transferir dinheiro apenas com o número do telefone para outro usuário do Mobile Pay, que vai desde pessoas, quiosques a grandes empresas. Foto: Bilka DK

Soluções de startups para startups

Inicialmente, uma startup precisava contratar gateways de pagamento independentes (exemplo: Cielo) para ser capaz de oferecer soluções de pagamento online. Com o tempo, surgiram startups que centralizaram esses gateways de pagamento (exemplo: PagSeguro), removendo a necessidade da empresa-cliente de buscar diversas soluções de pagamento por conta própria.

No cenário atual, as novas startups desenvolvem soluções ainda mais inovadoras para outras startups: as integrações transparentes. Neste tipo de integração, a comunicação entre o sistema da empresa-cliente e a plataforma de pagamento da empresa-provedora é direta, não havendo necessidade de direcionar o usuário a um site externo – ele sequer percebe que se trata de um sistema de pagamento alheio. Assim, as startups têm liberdade de adequar as formas de pagamento às suas necessidades.

Uma das maneiras de se utilizar a integração transparente são os Marketplaces.

Marketplaces

Vou dar alguns exemplos de startups que utilizam serviços que integram o ecossistema dos marketplaces, tanto B2C como B2B.

Elo7 – Um caso de sucesso

A Elo7 é um Marketplace na sua essência da era digital. Pessoas vendem artesanato, assim como acontece nas “feirinhas” de domingo em Belo Horizonte na Afonso Pena.

Alexandre Magno

Elo7 é uma plataforma que ajuda artesãos independentes a venderem seus produtos pela internet sem a necessidade de ter um e-commerce próprio. O site atua como uma feira, onde os empreendedores vendem de forma conjunta e colaborativa, sem haver concorrência.

Desta forma, o usuário pode encontrar, em um único lugar, diversos produtos de seu interesse e, assim, estimular o mercado de artesanato.

Para permitir que os Marketplaces consigam oferecer soluções flexíveis de pagamento, como distribuição de valores entre diversas partes envolvidas, várias empresas que trabalham com pagamentos passaram a oferecer este tipo de atividade através de suas API’s.

Stripe – Liberdade para os marketplaces

Stripe é uma das empresas de maior destaque no mundo dos marketplaces, sendo a que mais se adequa às necessidades do mercado.

O Stripe é um serviço de pagamento, assim como o PayPal e os Brasileiros Moip e PagSeguro. A diferença, porém, está em como o Stripe oferece uma API pensada na flexibilidade do desenvolvimento nas soluções de pagamento. Os desenvolvedores possuem total liberdade para criar sistemas pensados nas diversas necessidades do cliente, como cartão de crédito e assinaturas para pagamentos recorrentes, com uma API e uma documentação invejável.

Truppie – Beta tester do Stripe no Brasil

Stripe está entrando no Brasil, apesar de estar enfrentando dificuldades devido a algumas peculiaridades do mercado financeiro brasileiro que diferem do restante do mundo, tais como parcelamento no cartão e pagamento através de boleto bancário.

Tenho um projeto pessoal, a Truppie, uma plataforma de passeios e aventuras oferecidas por guias turísticos (assim como o Elo7 é para artesanato). Após uma experiência limitada com o Moip na Truppie, resolvi ser beta tester do preview do Stripe no Brasil. Utilizando sua API, oferecemos pagamento através de cartão de crédito para qualquer parte do mundo.

A Truppie trabalha no modelo Marketplace, para que o guia de turismo possa oferecer seus serviços com uma plataforma de pagamento integrada, que facilita a reserva realizada pelos seus clientes.

Usando o Stripe como solução temos uma forma de facilitar os pagamentos por cartão de crédito sem custos altos para uma empresa ou autônomo, e fazer isto de forma totalmente digital e independente. Assim, rompemos qualquer barreira e burocracia para trabalhar com diversos gateways de pagamento na Truppie com uma única API.

Tradeshift – Revolucionando o mercado de e-procurement (B2B)

Tradeshift – empresa em que trabalho atualmente como Engenheiro de Software em Copenhague, Dinamarca – veio para mexer com o universo da SAP, como eu já escrevi no post  ferramentas para mudar o gerenciamento de empresas.

A tecnologia nas nuvens mudou a forma de emissão de nota fiscais e invoices nos países onde são usadas e que não tem mais uma barreira fiscal rígida, como acontece no Brasil. Soluções como a da Tradeshift, uma plataforma B2B totalmente na nuvem, mudam a forma como o e-commerce é feito e é mais um exemplo de como as empresas podem utilizar uma ferramenta online para emissão de documentos fiscais.

Soluções de startups para usuários

Além de prover soluções para suas semelhantes, as novas startups também facilitam a vida de usuários comuns, como você e eu. Elas trazem uma nova forma de realizar transações financeiras, sem ser por meio de um banco e/ou com taxas absurdas, além do conceito de dinheiro/carteira virtual.

TransferWise – Transferência internacional com as menores taxas e sem burocracia

Quem vive no exterior ou recebe dinheiro vindo do exterior por algum motivo sabe dos problemas (e das altas taxas) enfrentados para realizar qualquer transferência entre países.

TransferWise, que funciona basicamente com a emissão de uma ordem de pagamento na moeda local, oferece uma forma fácil de enviar dinheiro para o exterior. Há a intervenção de um banco, onde você tem que ter a conta para poder receber, porém ela elimina a barreira entre bancos de diferentes países.

Expandindo esta idéia para transações totalmente digitais, não poderíamos deixar de falar do Bitcoin.

O Bitcoin

Bitcoin, usando o poder da criptografia na nuvem, fez nascer uma nova moeda totalmente digital na sua essência. Ela é também, por natureza, totalmente desvinculada de um banco central de um determinado país, o que a torna, para alguns, uma moeda “especulatória”.

Os Wallets

Assim como o Bitcoin, temos diversas formas já existentes de criptografia nas nuvens através dos Wallets, carteiras digitais em que você pode ter diferentes moedas virtuais.

O assunto Bitcoin rende uma dedicatória especial, mas saiba que ela vem revolucionando o mercado financeiro. Para você ter uma ideia, temos até álbuns sendo vendidos com pagamento usando esta moeda virtual, e com isto o músico não precisa pagar nenhum banco ou gravadora para receber os valores.

Startups contornam as barreiras financeiras e criam novos mercados

Finalmente, com esses exemplos, vimos que as novas startups estão criando modelos de negócio que essencialmente resolvem problemas enfrentados no dia a dia por aqueles que desejam realizar transações financeiras, sejam empresas, empregadores ou pessoas físicas de diferentes países.

Mesmo estando sujeitos aos controles feitos pelas instituições financeiras, diversos avanços estão sendo feitos para facilitar a forma como realizamos pagamento sem perder a segurança. O poder e controle passam a ser do cliente e das startups que oferecem soluções de pagamento de outras startups.

Empresas que oferecem pagamento como uma das suas especialidades podem usar serviços integrados através de API’s para que startups possam criar novas soluções e novas formas de negócio e e-commerce, como o caso do Elo7 para artesanato, e da Truppie para guias turísticos.

Desta forma, facilita-se a vida de todos, e a empresa ganha cada vez mais controle na forma como irá oferecer a experiência de pagamento para seu usuário.

Neste post, você aprendeu sobre startups que estão rompendo as barreiras financeiras. Leia também:

 Como abrir uma startup sem fronteiras
Gerenciando uma startup com ferramentas digitais
 As melhores ferramentas para gerenciar sua startup e romper com as barreiras financeiras

Siga-me também nas redes sociais:

instagram

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *