Como transformar sua ideia em um negócio com lucratividade real? Confira 4 dicas simples e eficazes

Se o seu sonho é empreender, saiba que você não está sozinho! Afinal, como já dizia Walt Disney, ao construir seu império do entretenimento:

“If you candream it, youcan do it”
(Se você pode sonhar, você pode realizar)

O momento atual no Brasil é certamente o ideal para você começar a investir. E isso, graças ao “empurrãozinho” da crise de 2006 – por mais incrível que possa parecer!

Desde então, já somos mais de 11 milhões de brasileiros tomando as rédeas da situação e tirando da gaveta – finalmente! – aquele sonho de se tornar o próprio patrão.

Este número – 11 milhões de novos empreendedores – foi obtido pelo Sebrae em pesquisa realizada junto à consultoria especializada GEM (Global Entrepreneurship Monitor), e isso ainda no ano de 2016.

O que ambas as instituições identificaram na época foi uma nova tendência ao empreendedorismo e uma janela de oportunidade sem precedentes pela qual o país está passando.

Dentre as diversas razões para começar já a investir no seu próprio negócio estão:

  • Poder se dedicar ao setor ou atividade que mais te agradar;
  • Se tornar o seu próprio patrão;
  • Trabalhar para o enriquecimento próprio – e não mais de terceiros;
  • Construir um patrimônio pessoal que sirva de segurança também para a sua família;
  • Abandonar o atual posto de trabalho.

E, convenhamos, não há desculpas para não começar já! Afinal, com dispositivos como o MEI, nunca antes foi tão fácil transformar a sua ideia em um negócio com lucratividade real.

Quer saber como? A gente conta para você a seguir:

4 dicas valiosas na hora de colocar o seu negócio no mercado

1 – Conheça o mercado

Se você vai começar um negócio, precisa ter clareza de onde está pisando. Comece respondendo à questão: qual o setor em que você vai atuar?

Escolha a área da sua empresa levando em consideração aquilo que você gosta de fazer, suas habilidades e conhecimentos adquiridos ao longo da vida e, principalmente, as oportunidades de negócio que a área oferece concretamente na sua região.

Para obter sucesso, não basta escolher uma área na qual você seja bom. Afinal, se não houver demanda pelo seu serviço ou produto, para quem você vai vender?

Ao definir a sua área de atuação, é hora de analisar o seu mercado. Perguntas como as seguintes podem fornecer um bom direcionamento inicial:

  • Quem será sua concorrência direta?
  • Quais os preços praticados pela concorrência?
  • Quais os diferenciais atrelados ao produto ou serviço?
  • Como é o atendimento da concorrência?
  • Qual a localização dos seus concorrentes?

Não se esqueça de que há muito a ser aprendido junto às empresas que já estão no mercado e que atuam na mesma área em que você pretende atuar. Visite essas empresas, invista seu tempo em networking. Você só terá a ganhar com essa experiência.

2 – Conheça o seu público

Com a definição da sua área de atuação, do produto ou serviço que será oferecido e com o estudo da sua concorrência, é hora de delimitar melhor o seu público. Para quem você vai vender?

Conhecer o seu público terá um impacto direto na escolha do seu modelo de negócio – loja física ou virtual. Servirá também para orientar sua estratégia de preços e todas as suas ações de marketing.

Comece estabelecendo qual é o perfil do seu público-alvo: detalhes como idade, escolaridade e renda são importantes para que você possa determinar a persona que será atendida pela sua empresa.

Em um segundo momento, invista em pesquisa de mercado para conhecer melhor os hábitos e preferências do seu público-alvo. Esse exercício vai permitir que você entenda melhor quais as expectativas do seu cliente, de forma a poder atendê-las e até mesmo superá-las.

Não perca de vista que a experiência de compra é hoje tão ou mais relevante do que o preço em si. É ela que vai permitir fidelizar o seu cliente e conquistar o famoso marketing “boca a boca,” indispensável na hora de consolidar a sua marca no mercado local.

3 – Determine seu modelo de negócio

Existem diversas formas de atuação para a sua empresa. Você pode, por exemplo, optar por montar uma loja física convencional – o que vai implicar gastos com a locação e reforma do imóvel, quadro de funcionários, e assim por diante.

Outra possibilidade é o investimento em um negócio online. O e-commerce é uma tendência que vem conquistando cada vez mais empreendedores e consumidores, em especial graças à expansão do acesso à internet e à boa experiência da maior parte dos usuários nos últimos anos.

O modelo e-commerce tem algumas vantagens em relação à loja tradicional no que diz respeito aos custos para abertura do seu negócio. Afinal, os custos iniciais de um e-commerce se reduzem à compra de um domínio, a instalação ou locação de um servidor e à construção da página em si.

Uma terceira opção é a oferta do serviço in loco: no qual você ou seus funcionários se deslocam até o cliente para a efetuar a venda ou prestação de serviço.

A decisão do modelo de negócio deve ser tomada considerando:

  • O seu capital inicial;
  • O seu público-alvo;
  • O seu setor de atuação.

4 – Determine seu modelo de gestão

É importante estruturar desde o início o seu modelo de administração. Como você irá controlar os dados da sua empresa?

Existem diversos modelos para auxiliá-lo na hora de controlar os custos da sua empresa de forma mais organizada e clara. Uma boa opção para quem está começando e possui baixo capital inicial é a utilização de planilhas de controle de custos ou planilhas de gerenciamento financeiro.

Se o seu orçamento permitir, uma solução ERP online pode vir a calhar. Ela vai auxiliar no controle financeiro da sua empresa, permitindo ainda realizar a emissão de notas fiscais eletrônicas e boletos através de uma só plataforma. Bem legal, não é mesmo?

Concluindo

“O sucesso não tem a ver com o lugar de onde você veio,
e sim com a confiança que você tem e o esforço que você está disposto a investir”

Começar um negócio não é tarefa simples e vai exigir de você muita dedicação. Se você pretende abrir o seu próprio negócio para trabalhar menos, talvez seja melhor rever seus conceitos. Afinal, como dito por Michelle Obama, o sucesso da sua empresa será diretamente proporcional ao tempo que você investir nela.

Que tal já começar a investir em networking? Conta para a gente aqui nos comentários: qual a área de atuação da sua empresa?

Este é um texto convidado no blog, onde possibilitamos trocas de informações entre diferentes áreas.


Autora:
 Gabriela Vitória, redatora do GestãoClick, 
software de gerenciamento empresarial que tem o intuito de otimizar o tempo e as atividades de empreendedores. Experimente grátis!

Gabriela Vitória, redatora do Gestão Click

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *